Rei de Solidão

Um dia fui rei
Uma única vez solidão
Melhor nadar nos braços alheios
Do que não ter abraços
Melhor morar nos braços de quem não se ama
Do que chorar o amor derramado

---------------
poeminha recitado por José Malabar, terrorista poético também conhecido por José Violência, o mesmo da música da Donamaria... o poeminha é recitado no roteiro da peça que conta sua história... bom... acabei lembrando hoje deste poema...

5 comentários:

Rita Cupertino disse...

Pura honestidade. Tente um dia ser ladrão, poeticamente falando.

Rita Cupertino disse...

A resposta também ta lá no meu, mas:

Sinto-me bem IN, mas como diz o poeta Chico B.: "E por fugir ao contrário, sinto-me duas vezes mais veloz." Espero que seja esse teu sentimento ou tentativa.

Outra:

Fiquei intrigada com o trecho: "universo de impossibilidades..." Ainda sou aprendiz, mas li agora apouco num livro: "Você atrai os pensamentos predominantes, conscientes ou inconscientes, que retém na consciência. Este é o X da questão"

Sabe aquela coisa de "pensamento positivo" relativo a atração?!
É O X.

Entendo esse seu "meio pra baixo", por isso tu escreves?!
Não é?!

Abraço; =)

Rita Cupertino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Cupertino disse...

a, esse X é uma longa história e a tentativa de fuga também. Fica pra próxima!
rs
:)

Artur Finizola disse...

ciência noética...

www.aiegua.com.br - Guia Interativo da Cultura Alagoana

vesteme.blogspot.com - escritos de 2006...


-___________________________________