COR | s.m.

Desenho com todas as cores que a terra há de comer e se aquele pássaro desajeitado tentar me reaver em vida, desejo-lhe cegamente a morte.

Tenho comigo o poder das pinceladas, o poder das misturas em solventes. Tenho comigo as frequências primárias e as secundárias, e assim desenvolvo meu holofote remanescente.

Entre um sobejo e um cigarro existem mais entes do que possamos imaginar.

Entre uma fagulha e um espinho, uma lua cheia quase cheia e um assalto existe: asfalto, tato, abraço e beijo.

2 comentários:

carla disse...

hoje a lua vai estar quase cheia..
e mesmo as pessoas que não são detalhistas vão notar..

bju.

Contador de Histórias disse...

sabia q vc quase entenderia... hehe :D

www.aiegua.com.br - Guia Interativo da Cultura Alagoana

vesteme.blogspot.com - escritos de 2006...


-___________________________________