Sem decassílabos

Gosto mesmo do verbo
Das papas, da língua
Do gosto maroto na pele
Do sotaque libertino

Gosto mesmo dos cachos
Das uvas, do ventre
Do paladar entrando pelo olfato
Do tato em sinestesia

2 comentários:

Elliott disse...

não entendi o sentido do título?

no contexto do poema

mas o poema eh bonito

Artur Finizola disse...

sem tantas palavras, meu caro lee flores...

=)

www.aiegua.com.br - Guia Interativo da Cultura Alagoana

vesteme.blogspot.com - escritos de 2006...


-___________________________________